Terça-feira, 4 de Março de 2014

O Condomínio

O Condomínio

 

 

Quando um edifício se compõe de várias fracções independentes, elas podem pertencer a proprietários diversos. Mas o edifício tem, além das fracções autónomas ou unidades independentes, algumas partes que são comuns a todos os proprietários. Podemos dizer que cada um é proprietário exclusivo da sua fracção e é comproprietário das partes que são de todos, ou seja, do condomínio.

Em geral, as partes comuns são: o solo, os alicerces, colunas, pilares, paredes mestras e todas as partes que constituem a estrutura do prédio, o telhado ou os terraços de cobertura, as entradas, vestíbulos, escadas e corredores de uso ou passagem comum a dois ou mais condóminos, as instalações gerais de água, electricidade, aquecimento, ar condicionado, gás, comunicações e semelhantes.

No título constitutivo da propriedade horizontal são especificadas as partes do edifício correspondentes às várias fracções, bem como o valor relativo de cada fracção, expresso em percentagem ou permilagem, do valor total do prédio e o fim a que se destina cada fracção ou parte comum. Só com o acordo de todos os condóminos se pode modificar o título constitutivo.

Os condóminos não podem prejudicar, quer com obras novas, quer por falta de reparação, a segurança e o arranjo estético do edifício. Não podem dar à sua fracção um uso diverso daquele a que é destinada. E devem contribuir para as despesas necessárias à conservação e fruição das partes comuns do edifício.

É obrigatório o seguro contra riscos de incêndio do edifício, quer quanto às fracções autónomas, quer relativamente às partes comuns.

A administração das partes comuns do edifício compete à assembleia dos condóminos e a um administrador, que elaborarão o regulamento do condomínio.

Aurora Madaleno

(In: VilAdentro, Ano XVI, N.º 182, Março 2014, p.12)

 

publicado por Aurora Madaleno às 14:17
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


.posts recentes

. Debate instrutório

. O Referendo

. O Divórcio

. Casamento de português no...

. O nosso "Carlos"

. Assistência religiosa nas...

. O Ministério Público

. Gestação de substituição

. A Acusação

. Apoio social às mães e pa...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds